Dicas

Como escolher uma TV GRANDE ?

Como escolher uma TV GRANDE essa e uma pergunta que todos querem saber. De repente, os TVs come√ßaram a crescer. Pessoas que um ano atr√°s buscavam modelos de 46 ou 50 polegadas agora pensam mais alto. Por que n√£o um de 60‚Ä≥? Ou 70‚Ä≥? Baseada em pesquisas sobre o comportamento do consumidor, a ind√ļstria est√° percebendo que a maioria sempre procura um TV maior que o atual. Est√° aberto, portanto, o caminho para TVs de tamanhos nunca vistos antes.

Alguns dos mais novos lançamentos da LG e da Samsung, por exemplo, são LED-LCDs de 72″ e 75″, respectivamente; os maiores modelos vendidos até agora no país eram de 65″. A LG ainda promete para novembro a chegada do seu TV de 84″, o primeiro com resolução 4K (veja o quadro da pág. XX). E a Sharp está colocando nas lojas modelos de 60″, 70″ e 80″ (este foi testado por nossa equipe na edição de outubro), além de preparar outro maior ainda, de 90″.

Os demais fabricantes, embora nada tenham anunciado oficialmente, com certeza n√£o v√£o querer ficar atr√°s. Nos EUA, a Sony j√° lan√ßou seu 4K de 84, enquanto a Mitsubishi ‚Äď que n√£o tem distribui√ß√£o oficial no Brasil ‚Äď mant√©m em linha o maior de todos, um 92‚Ä≥ que utiliza tecnologia DLP, de retroproje√ß√£o. Em eventos internacionais, como CES e IFA, a Panasonic tem exibido plasmas de 103‚Ä≥, 145‚Ä≥ e at√© 150‚Ä≥, mas apenas como prot√≥tipos, sem planos de lan√ß√°-los comercialmente.

Claro que todos esses aparelhos s√£o mais avan√ßados e mais caros que seus antecessores. Os fabricantes sabem que n√£o podem esperar grandes vendas com eles. Mas o simples fato de existirem j√° mostra que a ind√ļstria tem capacidade de ir muito mais longe. E a maioria dos fabricantes gostaria de poder distribu√≠-los em maior quantidade, se houvesse consumidores dispostos a pagar seu pre√ßo. √Č que, com a guerra de pre√ßos dos √ļltimos anos, caiu muito a margem de lucro. E s√≥ mesmo com TVs gigantes, ou com uma nova e revolucion√°ria tecnologia, ser√° poss√≠vel √† ind√ļstria recuperar sua rentabilidade.

A tecnologia mais aguardada do momento √© justamente a chamada ‚Äúultra-alta defini√ß√£o‚ÄĚ (UHD), representada pelos TVs 4K . Mas seus pre√ßos ser√£o inacess√≠veis, pelo menos de in√≠cio, para a maioria dos consumidores. Imagens 3D, por mais envolventes que pare√ßam no cinema, n√£o t√™m o poder de fazer as pessoas pagarem mais por um TV ‚Äď considerando a baixa quantidade de filmes tridimensionais para assistir. E o acesso √† internet, atrav√©s dos smart TVs, vai se tornando um recurso comum, quase obrigat√≥rio.

Para o consumidor que est√° pensando em trocar de TV, o apelo mais forte √© mesmo o tamanho da tela, dizem os fabricantes. At√© aqueles que compraram um recentemente (digamos, h√° menos de tr√™s anos) talvez se animem ao ver de perto um dos ‚Äúgigantes‚ÄĚ que est√£o chegando. O impacto √© imediato, fazendo lembrar as telas de cinema e dando sentido, finalmente, √† express√£o ‚Äúcinema em casa‚ÄĚ. Um TV de 90‚Ä≥, por exemplo, mede mais de 2m de largura, ampliando incrivelmente o envolvimento lateral.

Mas, antes de optar pelo maior modelo à venda na loja mais próxima, é preciso pensar em alguns detalhes práticos. Assim como no cinema, não é recomendável ficar muito próximo da tela. Além de se perder parte da amplitude da imagem, a radiação pode irritar os olhos; em alguns casos, consegue-se enxergar os pontos (pixels) que formam a imagem, o que prejudica a nitidez. Portanto, o primeiro cuidado para quem quer uma tela desse porte é reservar bom espaço para colocá-la, bem instalada.

A área aproveitável para exibir imagens, num TV de 80″, por exemplo, equivale a mais que o dobro da que se tem num modelo de 55″.


COMPARANDO E ESCOLHENDO

Elaboramos algumas dicas pr√°ticas que podem ser √ļteis na hora de escolher seu TV de tela grande. Antes de ir √† loja, por√©m, verifique bem as medidas de sua sala e defina onde ser√° instalado o TV.

Em primeiro lugar, faça uma boa pesquisa pela internet, comparando marcas e modelos para conferir os recursos que são mais importantes para você e sua família.

Na loja, procure analisar o TV a uma dist√Ęncia semelhante √† que voc√™ tem em casa (da tela ao sof√°) e observe se √© poss√≠vel enxergar os pixels que formam a imagem.

Sempre analise a tela n√£o apenas de frente, mas tamb√©m dos dois lados, para ver se a imagem apresenta distor√ß√Ķes. √Č igualmente importante observar com cuidado principalmente cenas escuras de filmes, para checar o n√≠vel de contraste: o TV deve ser capaz de exibir com nitidez at√© pequenos detalhes da imagem.

Depois, peça para reduzir o nível de luminosidade (BRIGHTNESS): os lojistas costumam aumentar esse item dos TVs, devido à quantidade de luzes acesas na loja; em casa, você irá usar muito menos brilho na tela.

CHEGADA DO 4K

Em meados de outubro, a CEA (Consumer Electronics Association) anunciou nos EUA que o nome oficial dos TVs 4K será UHD (Ultra High Definition). Dias depois, chegavam às lojas os primeiros exemplares do modelo HX950, de 84 polegadas, da Sony, o primeiro TV desse tipo a ser comercializado no país. A LG já colocou em alguns de seus revendedores o seu UHD 84LM9600, também de 84″.

Começa assim uma nova fase para o mercado de TVs, que alguns consideram a primeira grande mudança desde o lançamento dos Full-HD, em 2007. Pelo menos dois outros fabricantes (Panasonic e Toshiba) confirmaram que em 2013 irão lançar TVs UHD nos principais países, e dificilmente a Samsung, hoje líder mundial no setor, irá ficar fora desse segmento.

Tecnicamente, o principal atributo dos TVs UHD √© a resolu√ß√£o de 3.840 x 2.160 pixels, que equivale a quatro vezes o n√ļmero de pixels de uma imagem¬†(da√≠ a denomina√ß√£o ‚Äú4K‚ÄĚ). No total, s√£o mais de 8 milh√Ķes de pixels, contra cerca de 2 milh√Ķes de uma imagem de filme em¬†Blu-ray, por exemplo. Essa caracter√≠stica √© fundamental para exibir imagens em displays com mais de 60 polegadas sem deixar vis√≠veis os pixels quando se olha a tela de perto. ‚ÄúAgora sim ser√° poss√≠vel reproduzir em casa a sensa√ß√£o do cinema‚ÄĚ, diz Gary Yacoubian, coordenador do grupo de trabalho formado pela CEA para criar as normas do padr√£o UHD.

Outra vantagem da nova tecnologia est√° na reprodu√ß√£o de conte√ļdos 3D: a imagem direcionada a cada olho mant√©m a resolu√ß√£o Full-HD (1.920 x 1.080 pixels); nos TVs atuais, √© comum o sinal 3D ser dividido, resultando em resolu√ß√£o inferior. Para alguns experts, os TVs UHD v√£o dar grande impulso √† tecnologia 3D, j√° que na pr√°tica eliminam a pol√™mica entre √≥culos ativos e passivos.

Para gerenciar a grande quantidade de pixels e os sinais vindos de v√°rias fontes conectadas, os TVs UHD possuem processadores mais r√°pidos e avan√ßados, de n√ļcleo duplo. Tanto o modelo da Sony quanto o da LG s√£o capazes, por isso, de converter qualquer sinal para 3.840√ó2.160. Al√©m disso, j√° v√™m equipados com as plataformas smart de cada fabricante, incluindo acesso √† internet e (no caso do modelo LG) Wi-Fi embutido e controle por voz e gestos, como os TVs top de linha da marca.

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Bot√£o Voltar ao topo